Seis dicas essenciais para facilitar sua viagem de negócios

Viajar a trabalho pode ser uma dor de cabeça para os iniciantes. Seja pelo Brasil ou em um deslocamento intercontinental, pensar em todo o processo de chegada no aeroporto, check-in, raio-X de bagagem e espera de voo pode ser uma verdadeira tormenta.

Pensando nisso, o site Entrepreneur reuniu seis dicas primordiais para tornar toda a situação mais sossegada para homens e mulheres de negócios. O passo a passo reúne informações simples, mas que poupam muito tempo e dor de cabeça. Preparados?

ADEUS ÀS FILAS
O objetivo da viagem de negócios é poupar quanto tempo for necessário ao ser proativo e eficiente. Com isso em mente, uma das melhores dicas é evitar carregar bagagem sempre que possível. Ao trazer apenas pertences de mão, evita-se o tempo extra que se leva para fazer check-in de malas e retirá-las na esteira. Mais importante, o risco de ter seus itens manipulados ou colocados em um voo errado é zero.

Mas como você pode colocar tudo em uma mala de mão e uma mochila? Comece ao deixar alguns pertences em casa. Até mesmo em viagens internacionais a trabalho é possível desapegar de dispositivos extras e muitas roupas que façam volume. O viajante só precisa apenas de algumas peças.

Deixe uma mala cheia fora do seu alcance em viagens

Deixe uma mala cheia fora do seu alcance em viagens


PARADAS? NÃO!

Se você paga pelos seus próprios voos, é fácil escolher a opção a mais barata. Mas nem sempre é a melhor das escolhas. Conexões às vezes são necessárias para ir de um lugar a outro, mas é aconselhável buscar voos diretos sempre que possível.

Com cada conexão, homens ou mulheres de negócios aumentam não só a chance de ir a um lugar A ou B, mas também dão chances a riscos maiores. Em uma perna, por exemplo, existe a possibilidade de atraso. Com a demora, a segunda saída pode retardar e, consequentemente, uma eventual terceira também.

Se for possível e aceitável, desembolse um dinheiro a mais por voos diretos. Estresse e atrasos em aeroportos desconfortáveis não valem mais que o bem-estar necessário para fechar negócios.

SEJA ON-LINE
Sempre há atrasos inesperados no dia de uma viagem, não é mesmo? Seja o alarme que não toca, o trânsito no caminho a longas filas de segurança e problemas no balcão de bagagens, fatores inesperados e incontroláveis sempre estarão por aí. Então, quando se tem a possibilidade de agilizar algo, tome vantagem disso.

A maioria das companhias aéreas permite o check-in on-line dentro de 24 horas antes da partida do voo. Esse pequeno passo pode economizar tempo para executivos e executivas no aeroporto, ainda mais se não despacharem bagagem.

Hernán Piñera/Flickr

Evitar filas é essencial para o negócio

Evitar filas é essencial para o negócio

LEVE COM VOCÊ
Todo viajante de negócios experiente tem simples itens que precisam carregar consigo em cada viagem. Isso, claro, varia de pessoa para pessoa, mas é necessário levar carregador de celular de portátil na mala de mão. Afinal, nunca se sabe quando terá de carregar o aparelho, mas é certo que será quase impossível encontrar esse item ou até mesmo uma tomada.

Outro pertence, um pouco estranho mas efetivo é uma bola de tênis. “É ótimo para rolar sob seus pés e suas coxas para evitar rigidez e dores. É pequeno, barato e fácil de substituir”, disse Brian Povinelli.

SEM GERMES
Aeroportos, hotéis, táxis estão repletos de germes. Para se manter saudável em uma viagem corporativa, é recomendável fazer o máximo possível para evita-los em lugares óbvios. Portanto, uma mala sempre deve ter essas três pequenas coisas: gel desinfetante para mãos, lenços antibacteriano e Bacitracina.

Os lencinhos podem ser usados para limpar a bandeja da mesa, raramente conferida pela equipe de cabine entre voos. E o gel deve ser passado antes de comer qualquer coisa. E, por fim, o remédio tem de ser aplicado em cada narina para manter os germes longes do seu corpo.

NEGOCIE SEU CARRO
Se o viajante ou a viajante aluga um automóvel ao chegar no destino, deve-se considerar pedir um upgrade. Há uma diferença entre carros compactos e premiums. E, ainda, se acontecer um encontro informal ou jantar com clientes, é preciso pensar na imagem profissional.

“Carros de alto padrão custam um braço e uma perna, mas os representantes das locadoras vão negociar preços mais baixos se estiverem disponíveis quando for pegar o veículo”, afirmou o fundador e diretor executivo da empresa de milhas The Points Guy, Brian Kelly. “Pergunte no check-in se pode subir de categoria e, se eles cotarem um valor, esteja preparado para negociar, uma vez que eles não vão iniciar com o melhor preço.”conteúdo original: http://bit.ly/2e9rvXO

Fonte: PANROTAS