Saiba o que fazer caso tenha comprado uma passagem aérea da Pluna

A companhia aérea uruguaia Pluna entrou oficialmente em processo de falência nesta segunda-feira. Segundo Sergio Bañales, presidente da Audavi (Associação de Agências de Viagens), mais de 15 mil pessoas foram afetadas pela falência da companhia aérea.

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), órgão regulador brasileiro, diz que os passageiros devem ser realocados voos de outras companhas ou receber o valor da passagem de volta.

A agência, que não tem um levantamento do número de brasileiros prejudicados pela empresa, disse que a Pluna pode ser multada em R$ 360 mil por voo no Brasil, e ter a autorização para operar no país cassada, caso não preste a devida assistência aos passageiros afetados.

A multa equivale a cerca de R$ 4.000 por passageiro.

A Pluna voava para sete cidades brasileiras: São Paulo, Rio, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba e Foz de Iguaçu. Os destinos eram Montevidéu, Santiago do Chile e Punta Del Este.

 

CANCELAR A COMPRA

Caso o cliente tenha comprado passagens da Pluna com cartão de crédito e a fatura ainda não tenha sido paga, o Procon-SP pediu à Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços) para que oriente seus associados a cancelarem as compras assim que solicitado pelo consumidor.

O Procon orienta o consumidor que comprou passagens em agência de viagem a negociar com a empresa o cancelamento de graça da compra ou a acomodação em um voo de outra companhia aérea.

No caso de pagamento com cheque, a entidade orienta que seja feito um B.O. (Boletim de Ocorrência). Com o documento em mãos, o cliente deve pedir ao banco a sustação do cheque.

 

Editoria de Arte/Folhapress

 

Fonte: Portal Folha