Lançada campanha de respeito a ciclistas em São Paulo

Foi lançado no dia 11 de agosto, domingo, o comercial de TV da Prefeitura de São Paulo pedindo respeito aos ciclistas em São Paulo. O filme é parte de uma campanha mais ampla, que também utiliza rádio (com spots e informações nos boletins dos helicópteros), internet, TVs de ônibus e metrô, pontos de ônibus e possivelmente os relógios de rua. Após duas semanas de exibição na TV, a campanha entrará nas redes sociais e impressos até o Dia Mundial Sem Carro, dia 22 de Setembro. Saiba mais.

O vídeo parece ter sido inserido na campanha “A São Paulo que a gente quer”. Os outros filmes já veiculados dentro dessa campanha falam sobre corredores de ônibus.

Veja abaixo o vídeo que foi disponibilizado no canal oficial da Prefeitura no Youtube:

www.youtube.com/watch?v=0xV9DVrJQtI

Mensagens

Informações importantes são passadas no filme, tanto de forma textual como nas imagens. Os ciclistas são mostrados como cidadãos comuns, não atletas em treinamento. As imagens deixam claro que quem usa a bicicleta são pessoas como as que dirigem: possuem filhos, se deslocam para o trabalho, há até os que têm carro mas optam pela bicicleta, como mostra uma das cenas finais.

Há ciclistas com e sem capacete, representando o que se vê nas ruas. Certamente esse será um ponto polêmico, mas mostrar apenas ciclistas com capacete poderia causar um efeito colateral bastante danoso, ao passar a ideia de que apenas os que utilizam esse acessório merecem o respeito dos motoristas. Sabemos que a maioria não o utiliza. Entretanto, seu uso é recomendado no texto do comercial.

Os ciclistas do filme claramente ocupam a faixa de rolamento. É um avanço enorme termos isso sendo mostrado como o posicionamento adequado da bicicleta na rua, em uma comunicação da prefeitura. Ocupar a faixa é o comportamento mais seguro, mas por ser pouco aceito pelos motoristas é importantíssimo que tenha sido evidenciado e tenha o “lastro” dado por esse filme.

Uma das cenas mostra o ciclista no meio da faixa, com setas indicando que, para respeitar a distância lateral, torna-se necessário que o motorista utilize outra faixa. O texto fala sobre a distância necessária e também sobre reduzir a velocidade para ultrapassar, outro ponto importante.

Na presença de faixa exclusiva de ônibus, o ciclista é mostrado na segunda faixa. Mas em outra cena um ônibus ultrapassa adequadamente um ciclista que está na direita, utilizando a faixa adjacente. Com isso, duas situações são exibidas e reconhecidas como válidas: o ciclista na direita mesmo onde o ônibus circula e a utilização da segunda faixa, deixando a direita para os ônibus.

Há também informações destinadas aos ciclistas. Além das cenas que os mostram ocupando a faixa, há uma ciclista atravessando desmontada na faixa de pedestres e parando no sinal fechado, numa bike box. É feita a recomendação para utilizar “os acessórios de segurança” (entende-se o uso de capacete), um ciclista aparece sinalizando a mudança de faixa e todos trafegam no mesmo sentido dos carros. Ninguém utiliza a calçada.

O filme encerra com este ótimo texto: “a rua é de todos e tem espaço para todo mundo, é só saber compartilhar”.

Claro que muito mais poderia ser dito. Mas seria bem difícil acrescentar mais informação sem aumentar o tempo de 30 segundos dessa peça. Considerando essa limitação, a quantidade de informação passada foi bastante grande (e relevante).

Agora é ver o resto da campanha, em outras mídias. Ainda não sabemos se há outros filmes ou se essa é a única peça a ser veiculada na TV.

 

Fonte: vá de bike