Infrações de trânsito que parecem mentira, mas não são

De IG Carros

Cachorro na janela, não dar a seta ao mudar de faixa e usar fones de ouvido enquanto dirige pode render multas

 

Dirigir no trânsito caótico de uma grande cidade requer a paciência de um monge tibetano. Seja no ônibus, na moto, na bike, em uma “ximbica” velha ou em um carrão de meio milhão de reais, quando saímos à rua somos todos iguais, com direitos e deveres a serem cumpridos. O  número maior de veículos circulando no País a cada ano – segundo o relatório do Denatran, em maio de 2014, a frota de veículos do Brasil era de 83.683.119 (número que, de certo, já aumentou) – exige um  Código de Trânsito que abranja todo tipo de infração, até as mais improváveis e, felizmente, aquelas que nos dão nos nervos quando vemos o motorista ao lado cometer. Tais atitudes, passíveis de multa e pontos a menos na carteira de habilitação, vão além de desrespeitar o farol vermelho e estacionar em local proibido e os guardas brasileiros podem (e muitas vezes deveriam) utilizar-se do temido caderninho. Confira alguns exemplos.

 

Vai que dá

 

O tanque de combustível do carro entra na reserva, – e te avisa! – mas você está atrasado, tem uma reunião do outro lado da cidade e depois emenda em outro compromisso. “Ah, acho que chega…”, você pensa. Pois bem, às vezes não chega e você acaba com o veículo parado na via por falta de combustível, a famosa pane seca. Se o guarda te pegar no flagra, você perde 4 pontos na carteira e paga R$ 85,13 de multa. Abastecer o veículo, além da manutenção preventiva, é um dos cuidados que o motorista deve ter.

 

Porcalhão

 

O motorista come um sanduíche e arremessa o papel para fora do carro, ou então termina o cigarro e joga a bituca pela janela. Cada um deve cuidar de seu lixo, inclusive no trânsito. A atitude porcalhona pode render uma multa leve de 4 pontos, também no valor de R$ 85,13. O mesmo vale no caso de derramamento de líquidos pela janela.

 

Banho de água fria

 

Acabou de cair um toró, você está lá protegido sob sua caixa de metal, ouvindo um som, no conforto do possante, quando passa  por cima de uma poça d’água e arremessa respingos para todos os lados, atingindo outros veículos e, inclusive, o pedestre que está no ponto de ônibus pronto para ir ao trabalho. Essa ação, seja ela com ou sem intenção, é considerada uma infração leve que desconta 4 pontos na CNH e custa ao condutor R$ 85,13.

 

Espertalhão

 

A CET marca 396 km de vias entupidas na cidade e você faz parte daquilo. Então, uma ambulância pede passagem e, como se você fosse o único a querer sair daquela situação infernal e chegar em casa, resolve dar uma de “espertalhão” e aproveitar  o “vácuo” deixado pelo veículo de emergência. A ação é proibida segundo o nosso código de trânsito e ainda considerada uma infração grave, que leva 5 pontos na CNH e custa R$ 127,69. Veículos de emergência, com permissão para usar sirene, incluem viaturas de polícia, ambulâncias, carros de bombeiros e carros da CET, por exemplo.

 

Buzina: use com moderação

 

Sempre tem aquele chato que buzina pra tudo, como se isso fosse acelerar o seu caminho. Pode ser que o sujeito use a buzina como uma válvula de escape e não consiga desgrudar dela (tem louco pra tudo). O que esse cara tem que saber é que usar a buzina prolongada e sucessivamente a qualquer pretexto é uma infração leve que desconta 3 pontos da carteira de motorista. Buzinar por outros motivos que não sejam para alertar quem está ao redor também é passível de multa leve. As duas infrações custam ao condutor autuado R$ 53,20.

 

Balada itinerante

 

Sempre há um inconveniente que, se ainda não tem, certamente terá no futuro problema de audição, que adora sair com o carro com o som no volume máximo. Pois bem, utilizar o som no “talo” pode render uma multa grave de R$127,69, que desconta 5 pontos da carteira de habilitação. Usar no veículo um aparelho que perturbe o sossego público também é uma infração, porém média, e custa R$ 85,13.

 

Rei da rua

 

Vez ou outra a gente topa com aquele motorista que acha que a rua é dele e, por isso, pode fazer o que quiser. Um exemplo é o fulano que está na faixa da direita, mas quer virar à esquerda, por exemplo. Ao invés de entrar na faixa correta com antecedência, ele realiza uma manobra arriscada e coloca em risco sua segurança e de terceiros. O ato é passível de multa média de R$ 85,13. Outro exemplo comum é não acionar as setas direcionais antes de mudar a trajetória do carro, por mais que seja uma ação comum no trânsito para motoristas distraídos, trata-se de uma infração grave que desconta 5 pontos da carteira de motorista e custa R$ 127,69.

 

Orelhas ao vento

 

Dirigir o veículo com o cachorro no colo, que geralmente vai com a cabeça para fora da janela, representa um risco para você, para o animal e para terceiros. Além do bicho ficar solto no carro, ele pode ter uma reação que assuste ou distraia o motorista, causando acidentes. Ou seja, se você tem amor pelo seu animal de estimação, transporte-o de maneira adequada, em caixas de transporte ou com cintos de segurança apropriados para animais, que são encontrados em pet shops.

 

Salto de matar

 

Vai a uma festa e preparou um visual fatal. Sim, ele pode ser mesmo fatal se seu calçado for inadequado. Saltos muito altos modificam a posição de nossos pés, e podem enroscar no tapete do carro, por exemplo, e inibir os movimentos em uma situação de emergência. Dirigir um veículo utilizando calçados que comprometam a utilização dos pedais, é infração média, que desconta 4 pontos na carteira e menos R$ 85,13 no bolso. Fica a dica, mulherada!

Cegueta

 

Estamos viajando tranquilos na estrada quando temos nossa retina brutalmente atingida pelo farol alto do motorista que vem atrás. Quem nunca? O problema é que ele nem se dá conta de que está atrapalhando. Transitar com farol alto perturbando a visão de outro condutor é uma infração grave e custa R$ 127,69.

 

Fones de ouvido

 

Você está careca de saber que falar no celular ao volante é terminantemente proibido, mas e se utilizarmos fones de ouvido? Negativo! Em ambos os casos a multa é de R$ 85,13 e você perde 4 pontos na carteira.

 

Habilidade fora da lei

 

Se você se acha o “ás” da habilidade ao volante, não se esforce para mostrar isso a um agente do CET. Obviamente, só se o guarda estiver no banco do passageiro para te autuar por este motivo, no entanto, segundo o Código de Trânsito, dirigir usando apenas uma das mãos é uma infração média. Se o guarda estiver inspirado, pode te aplicar uma multa de R$ 85,13.

 

Pagando de gatão

 

Final de semana, você põe aquela camiseta regata com os braços torneados à mostra e sai de carro com o braço para fora do veículo, esbanjando charme por aí. Quem nunca viu essa cena? Pois bem, já que preza tanto seu “corpitcho” melhor deixá-lo dentro do veículo, pois a posição coloca a integridade física do motorista em sérios riscos em casos de colisões. Para inibir a ação, a CET autua motoristas que forem flagrados dirigindo nessa condição com uma multa média de 4 pontos e R$ 85,13.

 

Olhos de lince

 

Seu limpador de para-brisa deu problema, mas chuva não está nos planos da previsão meteorológica para a semana e você está sem tempo de consertar? Arrume. Por mais que você consiga realizar a proeza de dirigir na chuva sem acionar o limpador, a ação é considerada uma infração gravíssima passível de multa, que te arranca 4 pontos da CNH e debita R$ 127,69 da sua conta bancária. Isso na melhor das hipóteses, pois a ação pode causar um grave acidente.

 

Fonte: Portal do Trânsito