Dirigir ‘com calma’ ajuda a economizar

De Estadão

 

Forma de guiar do motorista interfere diretamente na durabilidade das peças

 

O anda e para do trânsito diário consegue tirar a maioria das pessoas do sério. Atualmente, dependendo do trajeto, ficar menos de uma hora e meia dentro do carro pode ser considerado sorte. Mas não é só a paciência que é testada. O tráfego pesado também causa desgaste prematuro nos componentes do veículo. Confira dicas que podem ajudar a aumentar a durabilidade das peças.

 

“No caso dos freios, principalmente dos dianteiros, o desgaste pode ser excessivo quando liberamos o pedal rápido demais, para, logo na frente, ter de parar novamente”, explica o analista técnico do Cesvi Gerson Burin. Isso também pode prejudicar os pneus. “Com o anda e para, eles sofrem mais e as paradas bruscas podem antecipar a troca.” O preço da manutenção varia de carro para carro.

 

Várias peças sofrem com o exigente tráfego das grandes cidades. “O uso da embreagem no trânsito é muito maior do que em uma via expressa. Por isso, é preciso tomar alguns cuidados”, afirma Burin. “Um vício comum dos motoristas é deixar o pé apoiado sobre o pedal. Isso afeta o escorregamento do platô e do disco.” Segundo o especialista o resultado é o comprometimento do sistema.

 

É preciso atenção com a temperatura do motor. “Em carros que ficam muito tempo no trânsito, o ar chega menos ao radiador, diminuindo a capacidade de aeração. E há risco de o propulsor fundir”, diz Burin.

 

O analista do Cesvi recomenda ficar sempre de olho nos alertas do painel. “O carro conversa com a gente.” Termômetro, luzes e sinais digitais indicam alguns possíveis problemas e que a hora da manutenção está chegando.

 

Fique atento aos sinais

 

De acordo com o analista técnico do CESVI, Gerson Burin, uma boa dica é prestar atenção nos barulhos emitidos pelo carro. “Além dos ruídos feitos pelo freio em mau estado, vibrações excessivas dos pedais (embreagem e freio) podem representar problemas sérios”, explica.

 

Para evitar danos ao veículo, basta levá-lo para verificações esporádicas em uma oficina de confiança. “Também é recomendável sempre ler o manual do proprietário e obedecer os prazos previstos para realização de serviços, como as revisões obrigatórias no caso de veículos novos.”

 

Fonte: Portal do Trânsito