Cintos traseiros de hatches compactos são reprovados em teste

A Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) avaliou os cintos de segurança de 20 carros compactos nacionais e constatou que apenas o Corsa Maxx (1.4) traz cintos de segurança de três pontos retráteis disponíveis para todos os ocupantes.

Nos demais veículos avaliados, o cinto traseiro central é apenas abdominal (de dois pontos) e, por isso, oferece menos segurança ao passageiro que ocupa aquele local.

No Fiat Uno (1.0) e no Ford Fiesta (1.0) os cintos traseiros laterais de três pontos não possuem retrator, sistema que regula automaticamente a fita ao corpo.

O Ford Ka (1.0) também não dispõe da tecnologia e peca ainda por ter os cintos traseiros curtos demais, dificultando (ou impossibilitando) a ancoragem de um bebê-conforto, por exemplo.

Procurada, a Ford diz que precisa analisar a metodologia do estudo para então se pronunciar.

 

OBESOS

Motoristas e caronas obesos também podem ter problemas com as tiras curtas dos cintos dianteiros de Renault Clio, Chevrolet Celta e Ford Ka Sport (1.6), aponta o estudo da Proteste.

Em relatório, o órgão conclui que a tecnologia empregada nos cintos dianteiros é muito superior à utilizada nos equipamentos traseiros e pede ao Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) que obrigue os fabricantes a instalarem cintos de três pontos em todos os assentos.

 

RANKING PRO TESTE

Além do sistema de retenção, presença do airbag também influenciou na classificação

1) Citroën C3 GLX (1.6)

2) VW Fox Prime (1.6)

3) Peugeot 207 XS (1.6)

4) Fiat Uno Sporting (1.4)

5) VW Gol Rock in Rio (1.0)

6) VW Fox (1.0)

7) Peugeot 207 X-Line (1.4)

8 ) Ford Fiesta Rocan (1.6)

9) Citroën C3 GLX (1.4)

10 ) Chevrolet Corsa Maxx (1.4)

11) VW Gol (1.0)

12) VW Gol Rallye (1.6)

13) Renault Clio (1.0)

14) Renault Clio 4p (1.0)

15) Chevrolet Celta LS (1.0)

16) Chevrolet Celta LP (1.0)

17) Fiat Uno (1.0)

18) Ford Ka Sport (1.6)

19) Ford Fiesta (1.0)

20) Ford Ka (1.0)

Fonte:  Jornal Folha de S. Paulo.