Cachorros devem usar caixas e cinto de segurança nos carros

De Fantástico

Teste feito nos Estados Unidos reprovou maioria dos cintos para cachorro. Mesmo assim, veterinário recomenda uso durante transporte

O teste é assustador! Um problema que pouca gente leva em consideração. Quais são os cuidados que devemos ter ao transportar nossos bichos de estimação?

Um cachorro fofo, que até parece de verdade, vai ser usado num teste. O bichinho é preparado e está tudo ok pra simular um acidente de carro. Antes de revelar o que aconteceu, o Fantástico vai mostrar os cachorros de verdade, que estão passeando com os donos de carro.

“Ele gosta de ir no colo, na verdade, mas eu tento deixar ele no banco do passageiro”, diz a fonoaudióloga Juliana Machado. “É bem perigoso”.

“Eu estou com o cinto e eu sou o cinto dela”, afirma a estudante Isabella Montoanelli.

E quando o carro está com um, dois, três, quatro cachorros?

A empresária Tatiana Vitale Pacheco sempre está com muitos cães. “A gente costuma levar uns dez cachorros aqui dentro”, conta.

Estes animais estão seguros dentro do carro? Sabe aquele teste do começo da reportagem? Os donos viram e se surpreenderam.

O teste, pedido por uma fabricante de automóveis, foi feito nos Estados Unidos por uma ONG que estuda a segurança dos animais. O objetivo era avaliar vários modelos de cinto de segurança pra cachorro. O resultado do teste não foi nada bom. A maioria dos cintos para cachorro se rompeu.

Um cinto deles estoura nos primeiros segundos e o boneco é lançado para a frente. Outro cinto não arrebenta totalmente, mas rasga e não segura o cãozinho de pelúcia, que bate as costas no banco. Num outro, o resultado é ainda mais assustador. O colete de proteção sai totalmente e o cãozinho voa.

No Brasil, o especialista em segurança viária Alessandro Rúbio explica o que pode acontecer num acidente real.

“A 50 km/h, numa colisão, essa desaceleração desse impacto é por volta de 25 vezes a gravidade, ou seja, um cachorro que pesa 10 kg, se projetado para frente, ele vai pesar 250 kg”, explica.

Além do perigo de acidente, tem o da multa! É proibido o motorista levar o cachorro no colo, entre as pernas ou entre os braços. Multa de R$ 85 e quatro pontos na carteira. Na caçamba, também não pode: R$127,69 e 5 pontos na carteira.

O Código de Trânsito diz o que não deve ser feito, o que gera multa, mas não explica como o dono deve levar o cachorro dentro do carro. As associações que tratam dos animais dão algumas orientações. O veterinário Leandro Alves mostra o que é mais seguro para um cachorro pequeno.

“A gente aconselha que animais de pequeno porte sejam transportados dentro de caixas de transporte próprias para isso”, ensina. Mas não basta só a caixinha, tem que colocar o cinto de segurança.

Outra opção são os cintos especiais para cachorro. O Fantástico viu que nem todos passaram no teste. Então vale ou não vale usar? Para Leandro Alves, sim.

“O risco do bicho solto no carro é de ele atrapalhar o motorista na condução e provocar um acidente”, destaca.

Para os cachorros maiores valem as mesmas dicas. Tem até caixa tamanho GG.

“Ela vai ficar presa entre o banco de trás e o banco da frente”, destaca o veterinário.

Como eles são da família é bom cuidar.

 

Fonte: Portal do Trânsito