Brasil sobe duas posições e vai ao 7o lugar no ranking da ICCA

Do Jornal BrasilTuris

O relatório anual da ICCA – Associação de Congressos e Convenções – divulgou o seu relatório anual com o número de eventos captados por cada país. O Brasil subiu duas posições no ranking, do 9º para  o 7º lugar – sendo o único da América Latina entre os 10 primeiros. Os Estados Unidos lideram o setor mundial com 623, a Alemanha em segundo tem 542.

Outro detalhe significativo é que o Brasil  recebeu 304 eventos classificados como internacionais de acordo com os critérios da ICCA – isto representa um crescimento de 10% em relação ao ano anterior, quando foram realizados 275 eventos. O crescimento de eventos captados pelo país foi de 390% desde 2003, quando a Embratur passou a cuidar exclusivamente da promoção brasileira ís no exterior.

Na relação de cidades, Viena continuou à frente (154), mas muito próxima está Barcelona que, como segundo colocada, subiu para 148. São 1958 cidades relacionadas como sedes de eventos internacionais.  Buenos Aires é a melhor colocada na América Latina, em 13o. lugar.

“O aumento de 48 para 57 do número de cidades brasileiras que receberam congressos e convenções listados pela ICCA é outro dado bastante positivo porque mostra que mais destinos turísticos estão se qualificando para receber eventos internacionais”, avaliou o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Flávio Dino.

A Embratur lançou, este ano, Programa de Apoio à Captação de Eventos, disponibilizando R$ 3,8 milhões para apoiar ações de órgãos públicos e entidades sem fins lucrativos para captação de eventos internacionais. O prazo para inscrição no chamamento público do Programa de Apoio à Captação de Eventos termina no próximo dia 23. “O principal ponto positivo do turismo de eventos é que ele geralmente é realizado fora dos períodos de alta temporada de férias, garantindo ocupação mais continuada a hotéis e todos os agentes do turismo na cidade”, ressalta o presidente da Embratur. “Queremos consolidar o Brasil como um dos maiores receptores de eventos do mundo”.