As 10 infrações mais frequentes no trânsito

De BHTrans

10- Dirigir na contramão
Alguns usuários revelam que andam na contramão geralmente para superar algum trecho curto e cortar caminho para chegar em determinado local. Extremamente desaconselhável na visão do prof. Coca, que diz: “Dirigir na contramão é uma das manobras associadas a um grande número de acidentes, pois os condutores que estão trafegando no sentido correto jamais imaginam um veículo vindo em sentido contrário”.

 

9- Usar o acostamento
A nona infração mais citada pelos usuários novamente é justificada pela questão de se ganhar tempo, mas o especialista entrevistado é ainda mais contundente na sua crítica: “A ultrapassagem pelo acostamento traz grande risco de acidente, além de muitas vezes prejudicar a fluidez normal do tráfego. Trata-se de manobra típica de indivíduos desqualificados que querem levar vantagem prejudicando outras pessoas.”

 

8- Não dar seta para mudar de pista
Para este item, os membros da comunidade Yahoo! Respostas citam que em muitos momentos não dão seta para entrar em uma rua ou mudar de pista por esquecimento. O prof. Coca atenta para o perigo dessa manobra: “Ao não dar seta para mudar de faixa o condutor pode provocar uma colisão com um veículo que está se aproximando, pois este não tem condições de adivinhar a manobra do veículo que está á frente em outra faixa”.

 

7- Fazer ultrapassagens pela direita
Em muitas cidades brasileiras ultrapassar pela direita é considerada uma infração, e os usuários que a cometem se defendem com a justificativa de que é para “ajudar no fluxo”. Ou seja, novamente ganhar tempo é a questão mais relevante para os motoristas. O especialista em trânsito alerta novamente para o perigo, principalmente nas rodovias de pista dupla. “O condutor do veículo à esquerda pode a qualquer momento estar voltando para a pista da direita”.

 

6- Avançar o sinal vermelho
Esta infração é justificada pela maioria por uma questão de segurança. Principalmente no período noturno, os usuários dizem que avançam o sinal vermelho para não correrem risco de assaltos. Para o prof. Coca, isso também não é desculpa: “O avanço do sinal vermelho aumenta o risco de acidentes e prejudica a operação das interseções não semaforizadas próximas, nas quais veículos e pedestres se beneficiam da interrupção do trânsito nos semáforos próximos para cruzar ou adentrar o cruzamento”.

 

5- Não usar o cinto de segurança
Chegamos no top 5 de infrações mais freqüentes no trânsito. O cinto de segurança é apontado pelos membros da comunidade como um item que gera desconforto e é deixado de lado sempre que possível. Para o especialista consultado pela nossa reportagem, ao optar pelo conforto o usuário está assumindo uma chance maior de ser gravemente ferido em caso de acidente: “O uso do cinto de segurança reduz o número de mortes e vítimas graves em cerca de 50% para condutores, 45% para ocupantes de bancos dianteiros e 25% para ocupantes de bancos traseiros”.

 

4- Parar em local proibido
Aquela paradinha rápida em lugar proibido para sacar dinheiro no banco ou comprar algo vale a pena? Não para o prof. Coca: “O ato de parar em local proibido prejudica a fluidez do trânsito, quase sempre provocando congestionamento. Além disso, como muda as características normais de circulação na via aumenta o risco da ocorrência de acidentes”.

 

3- Parar em mão dupla
Esta infração, comum principalmente em entrada/saída de escolas, entra no mesmo critério do item anterior: prejuízo para a fluência do trânsito e risco de congestionamentos.

 

2- Falar ao celular
A vice-campeã nas citações dos usuários é causada pelo celular. Cada vez é maior o número de pessoas que não consegue descolar do aparelho, inclusive no trânsito. E o prof. Coca também não perdoa os faladores: “O desvio de atenção por parte dos condutores (falar ao celular é o principal fator associado a isso) é responsável por cerca de 15% dos acidentes”. Independente se o motorista está usando fone de ouvido ou Bluetooth, o desvio de atenção é o mesmo.

 

1- Excesso de velocidade
A infração mais citada pelos usuários é andar acima do limite de velocidade permitido. Seja na rua ou na estrada, não são raros os motoristas que tentam ser mais rápidos do que deveriam. As desculpas são as mais variadas possíveis: pisa no acelerador para não chegar atrasado, para fugir de um possível assalto… e é para essas pessoas que o especialista em trânsito relata uma estatística alarmante: “O excesso de velocidade contribui para cerca de 30% dos acidentes (e das mortes) nos países desenvolvidos e 50% dos acidentes (e das mortes) nos países em desenvolvimento”.

 

Fonte: Portal do Trânsito