Aluguel de carro: um guia para você deixar o seu em casa

conversa

O turismo e as viagens de negócios têm promovido a expansão do negócio de locação carros no Brasil. Mas há outras situações em que o aluguel é boa alternativa, para quem está com o carro titular parado para manutenção, no dia do rodízio (na cidade de São Paulo), quer saber se se adapta ao câmbio automático ou mesmo para quem quer conhecer melhor um modelo antes de comprar. Um grande test-drive.

Existem 2.596 pontos de locação no Brasil, de acordo com Paulo Nemer, presidente do Conselho Nacional da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla). Para alugar um carro, além da idade mínima de 21 anos, basta basicamente apresentar a habilitação, em dia e válida. “RG e o CPF podem ser substituídos pela CNH, desde que contenham esses dados”, diz Nemer. Comprovante de endereço também pode ser solicitado. Embora cartão de crédito não seja exigido, sua apresentação facilita a aprovação do cadastro e o atendimento; sem ele, o carro somente é entregue após análise de crédito do cliente.

As categorias de carro variam entre as locadoras. A Abla adota a seguinte classificação para as faixas de preço:

1) Econômicos (modelos com motor até 1.0)

2) Médios (motor entre 1.001 cm³ e 1.8)

3) Luxo (motor maior que 2.0 e valor de tabela acima de R$ 100 mil),

4) Premium (SUV’s) e

5) Utilitários e Vans (picapes e minivans).

Nas categorias especiais, incluindo a Luxo e a Premium, a Abla alerta que os enquadramentos também podem variar entre as locadoras, mas de maneira geral são os seguintes:

Chevrolet (Cruze, Captiva, Tracker, Trail Blazer e Camaro),

Renault (Duster e Fluence),

Volkswagen ( Passat Variant, Touareg, Tiguan, Jetta e Passat CC),

Fiat ( Freemont e Linea),

Ford (Edge e Fusion),

Toyota (SW4, RAV 4 e Camry),

Nissan (Grand Livina, Novo Sentra e Altima),

Citroen (C3 Picasso, Aircross, C4 Lounge e DS5),

Peugeot (Novo 3008, 308 cc e RCZ),

Honda (CR-V e Accord),

Hyundai-Caoa (Gran Santa Fé, iX35, Tucson, Equus, New Elantra e Azera),

Kia (Sportage, Sorento, Mohave, Optima e, Cadenza),

Chery (Novo Tiggo),

JAC Motors (Novo J6 e T6),

BMW (Serie 1, Série 2 Coupé, Série 3, Série 4, Série 5, Série 6, Série 7, Série X, Z4, Série M e BMWi),

Mitsubishi (Pajero, ASX e All New Outlander)

Mercedes-Benz (Classe B, Classe C, Classe CLA, Classe CLC, Classe E, Classe S, Classe SLK, Classe SL, Classe GL, Classe GLA, Classe GLK e Classe M).

Para quem aluga por dia, a cobrança é feita a cada 24 horas. As tarifas variam conforme a categoria do veículo e a escolha pelos tipos de proteção a eventuais danos. Na maioria das vezes, as locadoras oferecem descontos progressivos – quanto maior o período de locação, menores são as tarifas diárias cobradas. Para os clientes de terceirização de frotas – aluguel de frotas inteiras para empresas públicas ou privadas -, os contratos são feitos entre 12 e 36 meses, com pagamentos a cada 30 dias.

Segundo Nemer, “entre as opções de quilometragem, a mais procurada é a livre, pois permite mais flexibilidade ao usuário, uma vez que ele pode alterar seus roteiros sem se preocupar com a mudança na tarifa de locação. A quilometragem controlada somente será vantajosa para quem vai percorrer pequenas distâncias, normalmente até 100 km por dia.”

Faixas de preço – Baseada numa consulta ao CarroAluguel.com.br, período 22 e 23 de janeiro de 2015, as diárias, com retirada e devolução em São Paulo e quilometragem livre, oscilam entre os Econômicos, a partir de R$ 68 (básico sem ar) até R$ 85, com ar e direção hidráulica. Na categoria Médios, os valores partem de R$ 146 até R$ 264,90, enquanto na Luxo os preços vão de R$ 334,84 a R$ 366,54. Na Premium, de R$ 214,50 a R$ 315,04. Na Utilitários, os valores vão de R$ 170 a R$ 249,70 (Vans) ou de R$ 345,95 a R$ 490,69 (Picape). As diárias dos automáticos variam de R$ 187 até R$ 396,61.

O usuário também deve ficar atento às condições de locação. Entre elas, sobre a proteção de sinistros: se total, parcial e qual o valor da franquia.

Os valores da proteção variam de acordo com as locadoras. Na Hertz, a proteção contra terceiros vai até R$ 40 mil. A proteção do veículo contra roubo, furto, colisão ou incêndio varia de R$ 35 até R$ 46 a diária, dependendo do modelo escolhido. Na Localiza, a proteção do veículo é de R$ 28 e contra terceiros R$ 10 (R$ 39 total) até R$ 39 e R$ 10 (R$ 49 total) para as categorias luxo. Na Unidas, os valores são de R$ 28 para a proteção do carro e de R$ 15 contra terceiros, independentemente do carro escolhido. Além disso, é preciso verificar quais as condições que a locadora estabelece para o caso de haver motorista adicional e qual o modelo do veículo que será disponibilizado para a locação dentro da categoria escolhida pelo cliente. Vale lembrar que o usuário terá de imediato a garantia do contrato de locação, que obedece aos princípios do Código de Defesa do Consumidor. É o documento válido entre o cliente e a locadora para a efetiva prestação do serviço.

Serviços ­ – Para a retirada do veículo é preciso portar a CNH em dia e válida. Na retirada, o usuário é acompanhado por um funcionário, que mostra o estado do veículo, os comandos, o estepe, a chave de roda e o estado dos pneus, entre outros itens. Todos os dados serão preenchidos num check-list, incluindo a quilometragem de saída e o volume de combustível no tanque. O check-list deverá ser assinado pelo cliente e será usado para comparação das condições do veículo na devolução.

Em caso de condutor adicional, a locadora deverá ser informada na abertura do contrato. Isso é importante, pois em caso de acidente, a falta da prévia indicação acarretará o pagamento integral dos danos causados ao veículo e não somente o valor da franquia. Em relação ao combustível, a Abla recomenda sempre o procedimento do tanque cheio, pois facilita a conferência no momento da devolução. Em caso de devolução com tanque parcial, a locadora calcula a quantidade que falta de litros e cobrar conforme sua tabela de preços.

É possível especificar um modelo para locação, mas na grande maioria das locadoras essa reserva é feita somente por categoria, ou seja, grupo de veículos. Por exemplo, ao reservar um carro da categoria luxo, o cliente terá à disposição um modelo da Audi, BMW ou Mercedes Benz entre outras marcas que atuam nesse nicho de mercado.

A reserva pode ser feita a qualquer tempo e com qualquer antecedência. Geralmente a tolerância é de uma hora para o dia e horário solicitados. Passado esse período de uma hora, a reserva é cancelada e eventualmente a locadora poderá cobrar no-show – cobrança e débito ao locatário. Por isso, em caso de cancelamento o ideal é que ocorra até 24 horas antes do dia e horário previstos para a disponibilização do veículo.

Os serviços opcionais variam de locadora para locadora, mas os mais comuns são GPS, cadeira para crianças e rack para acomodação e transporte adicional. Mesmo assim, tanto em relação a esses opcionais quanto a outros, é importante que o cliente consulte a locadora no momento da reserva.

Já em casos de roubo, furto ou acidentes, as locadoras orientam o usuário a prestar auxílio a eventuais vítimas e informar imediatamente a locadora. Em seguida, providenciar boletim de ocorrência.

O processo é o mesmo para quem precisa alugar um carro blindado, de acordo coma Abla. O que muda são os valores das diárias. De acordo com o CarroAluguel.com.br, para o período de 22 e 23 de janeiro, com retirada e devolução em São Paulo, elas variavam de R$ 686,73 a R$ 1 mil.

Para quem quiser alugar Vans ou Furgões, Nemer alerta sobre a necessidade de portar CNH na categoria adequada (C ou D), caso a intenção seja por um veículo com mais de sete lugares. “Além disso, será preciso entregar a relação de todos os passageiros para evitar a caracterização de fretamento, o que não é permitido pela legislação para veículos de locadoras”, informa o dirigente da Abla. Também é possível alugar carros de luxo no Brasil, e um bom caminho é pesquisar junto às associadas da Abla. Para tanto, basta consultar o portal da associação (www.abla.com.br/), na seção Quer Alugar um Carro, e em seguida telefonar ou enviar e-mail para as empresas para saber quais disponibilizam essa categoria de veículos.

Alugar um carro para viagem, dependendo do seu planejamento, é uma alternativa ao uso do carro próprio. Entre elas, defende a Abla, para evitar o desgaste do carro e, em caso de pane ou acidente, contar com a substituição por um novo veículo em caso de pane ou acidente. Em caso de viagem aérea, a locação é sugerida como meio de transporte no destino.

Além disso, é possível alugar um carro em um ponto do país e devolvê-lo em outro. Além do valor da diária, as locadoras que disponibilizam esse serviço cobram, em média, de R$ 1,20 a R$ 1,50 o quilômetro rodado. Uma viagem para o Nordeste, com retirada do carro na cidade de São Paulo no dia 10 de fevereiro de 2015, e entrega do veículo 15 dias depois em Salvador, teria as seguintes diárias, dependendo da locadora: entre R$ 60 a R$ 108,42 (básico sem ar), a partir de R$ 90 até R$ 171,05 (Sedã compacto – Voyage ou similar). De 177 a 180,18 (Executivo – Astra Sedan ou similar), entre R$ 138,30 e 216,41 (Van Cruiser – Spin ou similar), de R$ 297,22 a R$ 344,32 (Luxo – Fusion ou similar) ou R$ 599,84 (blindados). Na conta final, acrescentam-se a esses valores os quilômetros rodados entre São Paulo e Salvador.

Seja qual for a necessidade, planejar com antecedência permite ao consumidor pesquisar mais entre as locadoras a fim de levantar qual delas oferece as melhores condições e a variedade de modelos disponíveis na data desejada. Nas chamadas épocas de baixa estação, que variam nas regiões brasileiras, as locadoras geralmente fazem promoções.

Dados do setor

O faturamento das locadoras atingiu R$ 6,52 bilhões em 2013, um crescimento de 4,73% sobre ao ano anterior.

A frota subiu 8,24%, de 2012 para 2013, passando de 489.548 para 529.890 automóveis

O número de locadoras cresceu 17,09%, de 2012 para 2013, de 2.217 para 2.596 empresas.

Fonte: Auto Esporte