Agência de turismo elege reclamações mais engraçadas dos turistas

Uma empresa de viagens online decidiu divulgar as queixas mais absurdas de seus clientes no ano passado, que vão desde a quantidade de mulheres de biquíni na praia até uma mulher que disse que a areia da praia era tão quente que os filhos não conseguiram entrar no mar.

Os serviços de atendimento ao consumidor normalmente são alvo das reclamações mais justificadas – e também das mais absurdas. Uma agência de viagem online decidiu compilar uma lista das reclamações mais engraçadas, que incluem turistas que chegam ao aeroporto sem passaporte ou que o número de mulheres de biquíni na praia era tão grande que quase acabou com um noivado – já que ele não conseguia parar de olhar para os lados.

Segundo a agência de viagens britânica Sunshine, as reclamações em geral não beiram o ridículo, mas 2010 foi um ano em que as causas de insatisfação foram as mais divertidas. Para se ter uma ideia, os clientes reclamaram desde o fato de não terem sido lembrados a levar seus passaportes para viajar (“ninguém nos disse que iríamos precisar deles”) até um grupo de amigos que se sentiu “julgado” por voltar sempre de manhã, após ficar a noite na farra.

Entre os casos mais absurdos está o de uma família de quatro pessoas que ligou para reclamar das férias reservadas nas Ilhas Canário. Ela disse que, como o calor era intenso, a areia ficou tão quente que seus filhos não conseguiam andar na praia e, portanto, não chegaram a entrar no mar.

Outro inglês reclamou de sua estada no litoral espanhol, famoso por receber hordas de turistas britânicos. O hotel reservado incluía todas as refeições no pacote e, por isso, o viajante engordou “pelo menos 2,5kg” na viagem, dizendo que havia “muita comida disponível no bufê” e que ele não conseguia parar de comer.

Um casal reclamou que havia gastado dinheiro à toa indo para Marmaris, na Turquia, pois ao chegar lá o lugar tinha “muitos ingleses” – e a principal razão pela qual haviam optado por esse roteiro era a busca por “algo mais exótico”.

Outro casal não ficou muito satisfeito com os vizinhos de quarto, que faziam sexo com frequência, o que pressionava o marido a iniciar relações com a mulher todas as noites.

Mas entre as reclamações mais divertidas estava a de um homem que voltou furioso de sua viagem a Portugal, dizendo que a cama era “tão confortável” que ele acabava dormindo até mais tarde, em vez de “acordar cedo e aproveitar mais o passeio”. Outro reclamou de ter gastado o equivalente a R$ 13 em um óculos Prada, vendido na rua, para descobrir que era falso.

E, por fim, um turista que alegou que seu medo de altura não permitiu que ele se divertisse com o voo até as Ilhas Maurício.

Segundo Chris Brown, criador do site, a agência tem a maior satisfação de lidar com todos os problemas que surgem em viagens. “Infelizmente, não podemos ser responsabilizados pela temperatura da areia, ganhos de peso (devido à boa comida) ou da presença de outros turistas da mesma nacionalidade na área.”

Por Época NEGÓCIOS Online.