10 dicas para fazer aquela viagem dos sonhos sem entrar em crise!

Euros

Euros em alta. Foto: CC0 Public Domain

Nunca antes na história desse país…mentira ;-), mas sejamos francos: fazia um bom tempo (mais ou menos uns 10 anos) que o dólar e o euro não atingiam níveis tão altos como atualmente. Se lembrarmos que há uns 4 anos atrás se ia para os EUA com o dólar a R$ 2 e para a Europa, com o euro a R$ 2,50, numa primeira visão a situação hoje parece um pouco desesperadora para quem já tem viagem marcada para o exterior ou queria fazer aquela viagem dos sonhos para fora em breve. Porém, se pensarmos que há uns 15 anos se viajava com dólar abaixo dos R$ 2, a atual variação não fica assim tão estranha. Então calma: há soluções e opções para todo mundo economizar e aproveitar melhor as férias, tirar uns dias de descanso ou mesmo fazer aquela viagem dos sonhos sem entrar em crise. Veja abaixo.

10 dicas de como economizar numa viagem em tempos de crise:

1-) Compre moeda estrangeira aos poucos

Para quem quer ir ao exterior ou já tem viagem programada, a solução para não sofrer tanto com as cotações altas atuais é ir comprando moeda estrangeira os poucos: nunca tudo de uma só vez ou muito em cima da viagem.

Cotacao dolar 2015

Variação do dólar nos últimos 3 meses: quem se programou antes se deu bem. Foto: Reprodução/Uol cotação

Essa é a dica básica de todos os economistas atualmente: não se desespere. Vá acompanhando as cotações diariamente e fazendo compras pontuais. Com isso, o valor da cotação da moeda estrangeira terá uma boa média final, sem tantas perdas. Para quem quiser, estamos com uma parceria com a empresa Cotação que está oferecendo um desconto no câmbio para os leitores aqui do blog! Veja aqui: http://bit.ly/1VCb2uL

2-) Cartão de crédito x débito x pré pago x moeda

Aqui é simples: o IOF (imposto sobre operações financeiras) no exterior é de 6,38% para cartões de crédito, débito e pré pagos, enquanto para dinheiro em espécie é 0,38%. Ou seja: levar moeda em espécie hoje em dia é muito mais vantajoso do que pagar no cartão, do ponto de vista econômico. Só que os riscos de se levar só dinheiro são grandes com vários “E se…”(for roubado, e se perder a carteira, etc, etc).

dinheiro em viagem

Qual é a melhor maneira de levar dinheiro numa viagem hoje em dia? Foto: CC0 Public Domain

Assim, a melhor maneira de se levar dinheiro no exterior hoje em dia é levando parte em dinheiro vivo e parte no cartão (no caso das circunstâncias atuais) débito ou pré pago. Como o pagamento do cartão de crédito se dá no momento da fatura, muitas vezes você paga o cartão 20/30 dias depois de voltar de viagem, numa cotação que as vezes pode ser maior do que na data da sua viagem. Outro fato: os juros atuais do cartão de crédito estão caríssimos, então para não ter chance de entrar no vermelho, o débito ou cartão pré pago são as soluções mais certeiras.

Com o atual cenário (e acompanhando o câmbio, como falamos no item 1), a maneira mais garantida é ao mesmo tempo que comprar moeda, ir colocando aos poucos crédito num cartão pré pago, que no exterior funciona como um cartão de débito. Ainda que tenha o IOF mais alto do que o papel moeda, a segurança dele aliada a você comprar conscientemente moeda na melhor cotação antes de viajar, é a melhor garantia no memento.

E a pergunta que não quer calar: pode ser o câmbio abaixe na data da sua viagem? Sim, mas vendo o atual cenário, com a cotação só subindo nos últimos tempos, vale arriscar? Depende de cada um..

3-) Tire férias ou folga na baixa temporada

Com filhos na escola é mais difícil, mas quem puder, tente sempre viajar fora dos períodos de férias escolares ou durante feriados. Essas épocas são sempre as mais caras e os preços de passagens, hotéis e todo tipo de serviço inflacionam mais do que a nossa já “normal” inflação atual.

Muitas vezes é difícil segurar a ansiedade, mas quem quer realmente economizar isso é um fato: quem viaja no meio de Dezembro ou no meio de Janeiro para a praia no Brasil, consegue economizar mais de 50% de quem viaja no final do ano ou carnaval, para o mesmo destino por exemplo. Seguindo o mesmo exemplo, quem viaja em Novembro ou Fevereiro/Março, consegue economizar ainda mais!

Praia em Ilhabela

Praia deserta e barata? Só se for na baixa temporada! Foto: GC/Blog Vambora!

Sei o quanto é difícil passar aquele feriadão em casa, enquanto todos os seus amigos ficam postando fotos lindas nas redes sociais, mas pense friamente: como será que seus amigos vão se sentir quando você postar no meio de Novembro fotos do seus dias de folga, pagando bem menos que eles, e se divertindo tanto ou mais?! Pois é…

Por isso, se programe e planeje bem as próximas férias e dias de folga: evite viajar nos feriados ou férias de Janeiro/Dezembro/Julho. Não é só no Brasil, mas no mundo todo: em geral viajar em Março/Abril e Setembro/Novembro é sempre muito, mas muito mais barato.

Se tem crianças, mas são pequenas e podem faltar sem muito prejuízo na escola, aproveite para tirar uns dias para fugir dos altos preços das férias escolares tradicionais. Se os filhos já são maiores, então pegue no pé para que eles passem nas provas logo, sem ficar de recuperação, para que vocês consigam viajar juntos antes de todo mundo! 😀

4-) Antecedência ainda vale muito na hora de economizar

Numa viagem, em geral, especialmente para o exterior, a passagem é o item mais caro. Por isso, conseguir aquela passagem “baratinha” já reduz em muito os gastos totais da viagem.

As promoções existem, mas ás vezes, e principalmente agora, é muito mais difícil pedir para o chefe “uns dias de folga” porque conseguiu uma promoção de uma hora para outra.

É possível viajar bem e economizando mesmo com a crise. Foto: CC0 Public Domain

É possível viajar bem e economizando mesmo com a crise. Foto: CC0 Public Domain

Planejamento então é a palavra da vez! Seguindo a dica do item 3 acima, tente planejar suas férias na baixa temporada e fique de olho nas promoções de passagem. Para Europa, por exemplo, as melhores promoções nunca conseguem ser menores do que U$ 499 a passagem, ida e volta. Outra dica: os melhores preços aparecem em média sempre de 4 a 3 meses de antecedência da data sua viagem.

Milagres acontecem e promoções “esdrúxulas” sempre podem aparecer de uma hora para outra, mas não vale correr o risco de ficar esperando e ter que comprar caro em cima da hora.

5-) Procure variar a hospedagem

Depois das passagens, a hospedagem é o maior gasto dos viajantes numa viagem. No mundo ideal, a gente sempre quer ficar no melhor hotel, com aquele café da manhã imenso, cama gigante, banheira, etc. Em tempos de crise, você prefere gastar $500 numa única diária nesse hotel ou usar os mesmos U$ 500 e ficar num hotel confortável por 3 dias?

É claro que há exceções e todo mundo merece o melhor quando viaja, mas quem quiser economizar, ver outras opções é fundamental para ficar dentro do orçamento de viagem.

Opções bonitas x baratas x bem localizadas e com preço razoável sempre existem, pode acreditar, mas demandam pesquisa e antecedência. Ai o item 4 anterior volta a ser muito importante pois garante a equação:

Antecedência + Planejamento numa viagem = Economia

Esses hotéis de melhor custo X benefício são sempre os primeiros a lotar, por isso pesquisar e reservar antes é super importante. Nisso, uma das vantagens dos sites de reserva (como Booking.com e outros do tipo), é que você consegue pesquisar diversos hotéis ao mesmo tempo, comparado os preços para a mesma data e reservar sem ter que dar uma entrada ou pagar tudo antes de ir.

Hostel BonitaI Panema RIo

Hostel hoje em dia: mais charmosos, interessantes e privativos do que antigamente. Foto: GC/Blog Vambora!

Outra dica: hosteis ou albergues de hoje não são os mesmos que muitos anos atrás. Hostel tinha virado sinônimo de beliche, mochileiros, quartos coletivos, preços bons mas pouco conforto. Hoje em dia, muitos hosteis tem a opção de quartos privativos ou quartos menores (com 4 camas, por exemplo), perfeitos para quem viaja em grupo. Na Europa, por exemplo, é muito comum ver famílias com crianças pequenas em hosteis, em quartos privativos, então não precisa ter preconceito.

Na maioria das vezes muito bem localizados e com diferenciais que não encontramos em muitos hotéis normais com esse preço (design, café da manhã incluso, desconto em passeios, etc), ficar num hostel na sua próxima viagem para os EUA e Europa pode ser uma ótima opção para economizar sem largar mão do conforto e boa localização, especialmente em cidades já famosas por tarifas altas como Paris, Londres, Nova York, Miami, Los Angeles, Amsterdam, etc.

6-) Viva o supermercado!

Fazer um picnic, jantar ou almoçar um lanchinho, petisco da tarde, comprar um litrão de água do que várias garrafinhas, etc. Esse é o tipo de economia que o supermercado ou mercadinho no exterior garante.

Comidas no Whole Foods

Um dos balcões de comida do supermercado Whole Foods em NY: para levar para casa ou comer dentro do supermercado. Foto: MV/Blog Vambora!

Nem toda refeição precisa ser num restaurante 3 estrelas e nem toda refeição precisa ser um lanche ou fast food qualquer no meio da rua. Comprar um presunto cru e pão na Espanha ou uns queijos e vinhos na França e levar para o quarto do hotel pode garantir uma refeição super econômica e tão deliciosa quanto num restaurante qualquer, que entramos só para “comer algo”. Nas épocas mais quentes, aproveitando as áreas ao ar livre sempre abundantes no exterior, fazer um picinic no parque, por exemplo, pode ser inesquecível e charmoso também, só que economizando muito mais!

Separando alguns restaurantes e lugares especiais, dá para fazer as outras refeições do dia com bem mais economia, lembrando que: no almoço a maioria dos restaurantes é mais barata (ou possui um cardápio especial e mais econômico) do que a noite. Então lembre: se quiser experimentar um restaurante mais caro, tente ir durante o dia. 😉

7-) Viajar com crianças para Europa pode sair mais barato do que a gente imagina!

Em geral, viajar para Europa sendo estudante ou com até 25 anos traz vantagens absurdamente boas. Descontos de até 50%, entrada gratuita e permanente em museus e atrações são muito comuns, além de tarifas bem mais baratas no transporte, fazem da viagem de jovens e famílias na Europa muito vantajoso.

Outro fato: passes de trem para grupos sempre saem mais em conta e poder dividir o quarto também é excelente e traz muita economia.

Então se aquela viagem para Europa com amigos e família estava quase saindo do seus planos, repense, porque pode ser bem mais viável do que você imaginava.

8- ) Jura que é de graça?!

Mas não se desespere se você não é estudante ou já tem mais de 25 anos: a maior parte das atrações no exterior possuem dias de entrada gratuita ou mesmo são totalmente de graça para qualquer pessoa.

Quadros de Van Gogh no Metropolitan

Museu Metropolitan em NY: paga-se o quanto quiser para visitar. Foto: GC/Blog Vambora!

Para uma grande dose de economia, vale programar seu roteiro de viagem seguindo um pouco isso: indo no museu X no dia Y, que possui entrada gratuita, do que num dia e hora qualquer, por exemplo.

Seguindo esse exemplo consegui ir na maior parte dos museus em Nova York sem nunca ter pagado a entrada. Bom não? Nesse post aqui a gente tem uma lista dos dias de entrada gratuita dos principais museus da Europa, EUA e Brasil, veja: http://www.blogvambora.com.br/vivendo-e-aprendendo-o-barato-dos-museus/

9-) Brasil. Já ouviu falar?

Ok, ok. A situação está difícil no trabalho, você não consegue separar uma grana para viajar agora com dólar e euro, então o que fazer? Ficar sem viajar, descansar e tirar um dias de férias? Não, não!

Temos a mania de achar que férias é sinônimo de viagem ao exterior mas não é bem assim. Com o câmbio atual, viajar pelo Brasil, até que não está assim tãooo caro. Exemplo: Nos EUA, uma água sai por U$ 2, então no Brasil pagar R$ 3,00 até que não está tão ruim, certo?

Por do Sol em Ilhabela

Por do sol em Ilhabela,no litoral de SP. Foto: GC/Blog Vambora!

Também as nossas valiosas milhas (que a gente já explicou nesse post aqui como acumular) valem muito mais aqui no Brasil, dando para viajar de graça, de verdade pelo país.

Outra questão: fazer rodar nosso dinheiro dentro do nosso próprio país é uma das chaves para saída de qualquer crise econômica. Movimentando a nossa economia se gera mais renda, mais renda gera emprego, emprego aumenta produção e por ai vai. Destinos como Arraial d’AjudaGramadoBH (Inhotim), Brasílialitoral de SP e Rio (sempre fora da alta temporada e feriados) são cheios de atrações e tem um ótimo custo X benefício.

10-) Menos numa viagem, pode ser mais

Realmente talvez aquela super viagem de 30 dias que você estava pensando em fazer pela Europa saia bem mais caro do que 5 anos atrás. Mas porque não passar 10 dias? Ou viajar uma semana em uma ou duas cidades, fazendo vários bate e voltas?

Quando a gente pensa numa viagem ao exterior, dá mesmo vontade de fazer TUDO, abocanhar o continente todo, um check list completo de todas as cidades e países possíveis que podemos conhecer mas não precisa ser assim.

Fazer uma viagem mais curta e econômica não significa fazer uma viagem pior ou mais chata.Significa viajar seguindo as circunstâncias do momento. E a gente não imagina mas ás vezes fazer uma viagem mais curtinha, mas ainda sim para um lugar que sonhamos conhecer, pode ser tão ou mais proveitoso do que passar 1 mês gastando muito e não conhecendo mais profundamente os destinos.

Sonho de viagem

Embarcando no próximo sonho de viagem…Qual ee o seu? Foto: GC/Blog Vambora!

Por fim, se ainda sim para você a situação não estiver muito boa e fazer aquela viagem dos sonhos agora, vai ter que realmente ficar para depois, nada impede que até lá a gente não possa ir sonhando e planejando a próxima viagem e destino, certo? Porque sonhar não custa nada…ainda bem! Vambora!

Fonte: Bolg VAMBORA